22 de jul de 2010

Ciclones




Tanto quanto os Tornados, Furacões, Tempestades Tropicais e Tufões, os Ciclones possuem a mesma forma de origem, quando associam-se duas massas de ar que giram no mesmo sentido e se encontram em um determinado ponto. Porém, o Ciclone não se forma inicialmente nesta apresentação, em geral, ele é resultado do desenvolvimento de outro fenômeno menor, seja por meio de uma Tempestade Tropical, seja por um Furacão. A diferença entre cada um está na velocidade de sua apresentação e suas denominações têm caráter psicológico, uma vez que os efeitos destrutivos de uma Tempestade Tropical sempre é muito inferior ao que um Furacão pode trazer, e um Furacão é menos destrutivo do que um Ciclone.
O Ciclone é portanto a pior forma de apresentação deste fenômeno que se caracteriza por uma massa de ar que gira em torno de um epicentro. No núcleo de um fenômeno como este, não se percebe sequer que ele esteja ocorrendo, uma vez que a velocidade dos ventos é praticamente nula, porém, para as áreas do perímetro de ação desta tempestade, os ventos giram acima de 350 km/h, carregando consigo animais, árvores inteiras arrancadas pela raiz, veículos de grande porte como ônibus e caminhões, etc.

Os Ciclones são chamados assim no ocidente, já no Ocidente eles são tratados como Tufões.


 


Inicialmente, fazia-se uso da denominação de Furacão para as tormentas com equivalente de destruição, sendo o nome Ciclone mais utilizado para este fenômeno no Oceano Índico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário